terça-feira, maio 31, 2005

Premonição caseira

"Resta, por fim, a pergunta frequentemente colocada: o que fazer se um ou mais Estados recusarem ratificar a Constituição? A minha única nota sobre esta questão é que será necessário irmos buscar inspiração à cultura democrática, da mesma forma que o fizeram os constituintes americanos: se uma larga maioria de cidadãos e de Estados-membros aprovarem a Constituição, o problema colocar-se-á aos Estados que recusaram ratificar e não à Constituição em si."
Valerie Giscard d'Estaing, Abril 2005.

JB

Ambrósio #5

hoje apetecia-me ...

um mundo a preto e branco, dividido entre bons e maus, onde as respostas fossem apenas sim ou não

a culpa é provavelmente do Camus e daquela do "nobody realizes that some people expend tremendous energy merely to be normal"

CA

Referendo Francês

Numa altura em que 49 % da população da UE já disse sim à Constituição Europeia, a França, veio ontem a terreiro dizer que não quer esta Constituição.
O voto é, sem sobra de dúvidas, legítimo e democrático. Mas este referendo veio mostrar a falácia que este instrumento representa e, acima de tudo, que os franceses, herdeiros da pátria da liberdade, igualdade e da fraternidade, não aprendem com erros passados - veja-se a passagem do Le Pen à 2ª volta das presidenciais - e mostram-se mais uma vez do alto da sua egoísta ignorância.

Os franceses não votaram contra a Constituição Europeia. Votaram contra Chirac e Rafarin, o que mais não foi que um voto contra a política interna;
Os franceses não votaram contra o articulado do texto constitucional. Votaram sim contra a entrada da Turquia na União Europeia. Mas, senhores, não depende da Constituição Europeia a integração da Turquia na UE! Depende sim dos decisores políticos da UE, com ou sem esta Constituição!

Os franceses esquecem-se que, embora fundadores, não são os únicos pais históricos desta União de povos reunidos após uma guerra sangrenta. São apenas um dos pólos que vê retratadas neste texto muitas das suas ambições, dirimidas durante 2 anos de difíceis debates no seio da Convenção Europeia que redigiu o texto, mas que não pode arrogar-se ao direito de exigir um texto à sua imagem. Há mais 24 Estados com ambições, preocupações, receios e que, tal como a França, lutaram por ter um bocadinho de si no texto final.

Como disse Valerie Giscard d'Estaing, Presidente da Convenção Europeia, no dia em que entregou o texto do Projecto de texto aos Chefes de Estado e de Governo, em Julho de 2003, este foi o "melhor acordo possível". E foi-o, de facto. Num texto feito para 450 milhões de cidadãos e, muito especialmente para 25 Estados com passados tão diferentes, é impossível conciliar todas as visões de sociedade, de mercado, de formas de decisão, etc. O texto a que se chegou traduziu, de facto, o maior denominador comum.

Mas não chegou. Os franceses querem a sua visão de Europa Social totalmente vertida no texto da Constituição. Também eu gostaria, mas não foi consensual aquando da redacção do texto! Foi por isso não ficou integralmente inscrito o modelo francês, mas sim um modelo mais híbrido.
E agora? Julga a França que devemos partir para uma renegociação do texto? Talvez seja ingenuidade a mais pensar que vão conseguir tornar a Constituição Europeia no espelho da sua concepção para a Europa.
Ou quem sabe, talvez cheguemos a uma Europa a duas velocidades. A Europa dos que querem avançar e a Europa dos que se contentam com Nice... poderá ser o princípio do fim, embora tenha sido uma das armas psicológicas utilizada pela França em tempos idos, quando achava que seria um dos motores de arranque para uma UE unida sob a capa de uma Constituição e via algum Estado membros renitentes em aceitar as suas propostas mais federalistas

O importante, neste momento, é fazer a leitura consciente deste voto francês, continuar o processo de ratificação nos outros Estados Membros e não ceder ao primeiro contratempo nesta União que redesenhou, no início deste novo século, as fronteiras históricas de uma Europa tão martirizada por guerras passadas.

Quanto aos franceses? Vieram confirmar a ideia que tinha deles...

JB

segunda-feira, maio 30, 2005

sem contexto (3)

Image hosted by Photobucket.com

Este, os outros e muitos mais AQUI.

CA

sem contexto (2)

Image hosted by Photobucket.com

CA

sem contexto (1)

Image hosted by Photobucket.com

CA

sexta-feira, maio 27, 2005

elogio à loucura

Já alguém sentiu a loucura
vestir de repente o nosso corpo?
Já.
E tomar a forma dos objectos?
Sim.
E acender relâmpagos no pensamento?
Também.
E às vezes parecer ser o fim?
Exactamente.
Como o cavalo do soneto de Ângelo de Lima?
Tal e qual.
E depois mostrar-nos o que há-de vir
muito melhor do que está?
E dar-nos a cheirar uma cor
que nos faz seguir viagem
sem paragem
nem resignação?
E sentirmo-nos empurrados pelos rins
na aula de descer abismos
e fazer dos abismos descidas de recreio
e covas de encher novidade?
E de uns fazer gigantes
e de outros alienados?
E fazer frente ao impossível
atrevidamente
e ganhar-Ihe, e ganhar-Ihe
a ponto do impossível ficar possível?
E quando tudo parece perfeito
poder-se ir ainda mais além?
E isto de desencantar vidas
aos que julgam que a vida é só uma?
E isto de haver sempre ainda mais uma maneira pra tudo?

Tu Só, loucura, és capaz de transformar
o mundo tantas vezes quantas sejam as necessárias para olhos individuais
Só tu és capaz de fazer que tenham razão
tantas razões que hão-de viver juntas.
Tudo, excepto tu, é rotina peganhenta.
Só tu tens asas para dar
a quem tas vier buscar

José de Almada Negreiros, Poemas - Assírio & Alvim

CA

analogia

A relação de semelhanças entre coisas diferentes pode, por vezes, assumir contornos algo assustadores.

Após o debate desta semana na Assembleia da República encontrei esta.

It makes you wonder.

CA

quarta-feira, maio 25, 2005

sugestão do dia

O mundo blog, ao contrário de outros, tem destas coisas fantásticas.

Embora a senhora referida no post anterior ainda não tenha dado qualquer resposta à minha reclamação outros há que, à velocidade de um click, me apresentaram uma sugestão para aquilo que seria the smart sane thing to do.

Image hosted by Photobucket.com

Embora a sugestão não me pareça smart e muito menos sane (mas só porque hoje ainda é quarta-feira) fica under consideration.

CA

frase do dia

Passados em revista, apenas em final da tarde, os favorites destinados a uma leitura mais matinal deparo-me com a seguinte indicação no horóscopo do dia, powered by Bridgett Walther:

"do the smart, sane thing"

Cara Bridgett,

Se eu tivesse a mais pálida ideia de qual seria the smart and sane thing to do não estava a consultar o seu site, topa?

Para a próxima agradeço uma indicação menos generalista.

Obrigada

CA

4 anitos

Hoje estou em festa.

Quatro anos depois já atendes sozinha o telefone e, com voz de sono, perguntas se chego a tempo para os teus anos.

Não vou chegar a tempo mas celebro. Celebro todas as coisas boas que a tua imensa sabedoria me tem trazido. Celebro todos os momentos de orgulho que experimento ao sentir-te crescer. Celebro, também por ti, ter voltado a acreditar que há milagres que acontecem.

Parabéns meu pequeno raio de sol.

CA

segunda-feira, maio 23, 2005

o post anterior ...

... é da exclusiva responsabilidade do seu autor.

[some of us still have the blues]

CA

Ninguém pára o BENFICA!

Image hosted by Photobucket.com
País de loucos este, em que centenas de milhares de pessoas festejam all night long uma vitória de um clube de futebol, quando deveriam ir trabalhar na manhã seguinte. Mas como é bom fazer parte dos loucos...
A nação benfiquista ergueu-se finalmente por esse Mundo fora. Para aqueles que duvidavam da força dos seis milhões, as suas dúvidas parecem-me legítimas: somos capazes de ser ainda mais. Por todo o país, a massa encarnada invadiu ruas e celebrou até ao nascer do Sol. Como soube bem ir a Lisboa só para participar nesta festa!
Não escrevi nunca sobre futebol neste blog. O ruído sonoro ou escrito produzido nos media por adversários menos poderosos e mais invejosos, teve ontem a melhor e única resposta possível.
Voltaremos quando o cansaço for menor a debruçarmo-nos sobre as conversas de sportinguistas e portistas sobre a ajuda dos árbitros ou a má qualidade do futebol praticado pelos encarnados. Leiam esta primeira análise. Tudo isso merece resposta, mas para já para já só dá mesmo é para cantar!
SLB! SLB! SLB! SLB! SLB!
GLORIOSO SLB!
GLORIOSO SLB!
TS

quinta-feira, maio 19, 2005

Hoje é dia de....

Image hosted by Photobucket.com

JB

quarta-feira, maio 18, 2005

Força!

Image hosted by Photobucket.com

JB

UEFA vs Eurovisão

Por Portugal marchar, marchar ...

Ele é UEFA e ele é Eurovisão. A toque de caixa, por Portugal marchar!

Hoje a coisa ainda vai, embora a sedução venha mais do bacalhau e da baba de camelo que do futebol. Mas como dizia o outro "o que importa é o combibio".

Já amanhã, sem ementa anunciada, confesso que ainda estou a ponderar, entre os festivais eurovisão da infância e uma votação (à qual a RTP/I apela à exaustão) numa canção (pimba cantada em inglês) que supostamente representa a aproximação do nosso país aos festivais eurovisão dos nossos dias.

São os custos de ser portugês na diáspora (sempre é melhor que emigrante) ... enfim, venha hoje o bacalhau e amanhã, com sorte, o telemóvel estará a postos para mandar uns quantos sms.

CA

terça-feira, maio 17, 2005

Kumba Ialá

Image hosted by Photobucket.com


Esta figura bizarra da vida politica guineense lembra o Saci-Pererê do "Sítio do Pica Pau Amarelo". Não fora a gravidade de tanta leviandade, bem que dava para rir...
JB

Image hosted by Photobucket.com

Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo.
Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos", 8-3-1914

JB

matriarca

Tem 90 anos e foi, pela primeira vez na sua vida, internada num hospital.

Já não tem, dizem-me, a resposta certeira, que nos fazia rir até às lágrimas mesmo nos momentos de maior angústia.

Já não tem, dizem-me, os braços abertos, que nos faziam correr para ela a cada fim-de-semana alargado de regresso à casa materna.

Já não tem, dizem-me, o sorriso e a paciência, que me fizeram aprender tantas coisas .

São muito poucas as pessoas de quem só guardo boas recordações. São menos ainda as pessoas a quem nunca ouvi uma palavra áspera. Conto pelos dedos da mão as pessoas que marcaram a minha infância e adolescência como ela.

No Verão passado disse-me que tinha orgulho na pessoa em que me tornei.

Eu sei que a jornada foi muito longa e que é merecido o descanso para que te preparas.

Não sei se algum dia estaremos preparados para te perder.

CA

segunda-feira, maio 16, 2005

Momentos

Hoje o tempo está bom. E aproveitei para ler umas fábulas do La Fontaine numa esplanada ao sol enquanto me deliciava com um crepe normando. De regresso a casa conheci um ser fantástico. Colega de banco no 63, pediu-me desculpa por me estar a ocupar 15% do meu espaço mas, por ter uma prótese numa das pernas, não tem outro remédio se não incomodar quem vai ao lado. O senhor era uma doçura de 76 anos, escultor vária vezes premiado na Bélgica e que vive um final de vida nostálgico por ter perdido a mulher da sua vida há pouco tempo. Disse-me com mágoa que o que mais o impressiona é ver casais percorrerem uma vida inteira sem trocarem palavra. Mas falou muito mais que de tristeza. Da admiração que tem pelos portugueses e pelo Portugal da Revolução dos Cravos, das esculturas que já fez, das aguarelas que já pintou, da Itália natal...
A minha viagem foi mais curta que a dele e, na despedida, agradeceu-me comovido por o ter ouvido.
Não era preciso! Eu é que me senti mais rica depois destes minutos de conversa.
JB

domingo, maio 15, 2005

Ainda existem?...

Hoje, ao passar por um parque com amoreiras veio-me à memória o bicho-da-seda e os meus tempos de criança. Os tempos da escola primária (ensino básico, agora?...) em que todos tínhamos bichos-da-seda. Em que as fases porque passavam eram assunto de conversa nos intervalos, entre a apanha das folhas de amoreira para o repasto do dia.
A borboleta, o casulo, os ovos, a simpática larva... onde andam estes bichinhos tão simpáticos que nunca mais o vi por aí?...
JB

sexta-feira, maio 13, 2005

Mimos da Alsácia

- Boa noite, queria reservar uma mesa para as 21h30...
- Estamos cheios. Só a partir das 22h30
- Hum... isso é muito tarde. Obrigada
- Espere! Você não é a grega, não, a portuguesa?
- Sim...
- Que bebe sempre Gewurztraminer?
- Sim...
- Há, então claro que arranjamos mesa! Para quantos?

JB

terça-feira, maio 10, 2005

A melhor entrevista do ano

George Galloway, ex-deputado trabalhista, eleito pelo novo partido "Respect" depois de fazer campanha anti-guerra no Iraque, entrevistado pela estrela do jornalismo da BBC, Jeremy Paxman. Do melhor, em texto e em video aqui...

TS

Que bem que se estaria...

Image hosted by Photobucket.com
em Florianopolis, sentado no banquinho a ler um livro...

segunda-feira, maio 09, 2005

Chapeau Monsieur Mendes!

Que os aparelhos dos principais partidos portugueses sofrem pesadamente de clientelismo, corrupção e outras virtudes parecidas, já todos nós sabíamos. O diagnóstico não é novo, é até confirmado pelos candidatos a líderes dos partidos em questão. O problema, é uma vez a vitória no bolso, ter capacidade e coragem para afrontrar os poderes instalados (que bela linguagem leninista!).

Image hosted by Photobucket.com

Vem isto a propósito do neo-líder do PSD (já não se diz PPD pois não?), o amigo Marques Mendes. A poucos meses da sua primeira batalha eleitoral, MM não só se recusou a apoiar Isaltino de Oeiras - cujas manobras ele bem conhece visto ter sido (ainda exerce?) Presidente da Assembleia Municipal de Oeiras - como também ousou mandar o Major Valentim às urtigas. E fê-lo de forma frontal mas com inteligência. Isaltino ainda tem um processo por dinheiro ilegalmente transferido para a Suiça e não declarado: como é óbvio, razões judiciais impedem-no de ser candidato. Quanto ao Major, a mesma lógica poderia ser seguida. Só que no mundo etéreo do nosso aparelho judicial, o arguido Valentim já recuperou o exercício dos seus mandatos públicos (pelos quais relembro pode vir a ser julgado) e acha-se agora no pleno direito de se recandidatar. Daí a lógica de falta de confiança política que MM invocou para lhe barrar caminho.

Dirão as más línguas que o Major só ficou de fora por ter sido trazido para a política pelo amigo Luis Filipe Menezes. Ainda assim limpar dois seres pouco impolutos da cena política portuguesa, sendo que ambos protagonizavam candidaturas seguras de ser eleitas, é de facto de se lhe tirar o chapéu.


TS

Olha que dois...

Image hosted by Photobucket.com

Querem eles formar uma nova aliança contra o terrorismo...
O espírito deverá ser "Grozny, Falujah, mesmo combate!".
Nunca terei saudades dos tempos da Guerra fria mas que esta foto assusta muito mais que uma Reagan/Gorbatchev, lá isso assusta...

TS

pequenas perversões

Image hosted by Photobucket.com

Recomendável. Mesmo a gente respeitável. Doutores, em especial.

Image hosted by Photobucket.com

À escolha, consoante a faixa etária e a necessidade.

[Em exclusivo para TS, porque não há nada que pague uma boa gargalhada]

CA

diários intimistas

Entre um link e outro descobri uma troca de posts entre os so-called blogs de direita isto porque "os blogues de direita tendem a ficar diários intimistas".

Achei piada já que a primeira pessoa (depois de nós próprios) a tentar caracterizar este blog era de direita e fê-lo nos seguintes termos "blog intimista, socialista, de gente amiga";
Um outro amigo, que se diz de direita, refere-se a este blog como um espaço para memórias infanto-juvenis e coisas afins.

O problema, explicaram-me há alguns meses, é que isto dos blogs ganha vida própria. E, como a luta pelas audiências não se limita aos canais de televisão, vai não vai, a coisa descamba para o intimismo. A ver se alguém lê. Porque para muita pretensão e desmesurada ambição cada vez há menos paciência.

Por isso me agrada que estes descontextos sejam - e sempre tenham sido - intimistas, sejam repositório de memórias infanto-juvenis e, sobretudo, sejam coisas afins.

Sem pretensões. Sem agenda. Sem contexto.

CA

Paris

A Guida anuncia que vai em Julho a Paris, pela primeira vez. Que vai de moto, saíndo do Porto.

O fantástico não é a notícia, nem sequer o meio de transporte. O fantástico é a forma como faz o anúncio, em jeito de post-scriptum sem importância. Como faz sempre, com todas as outras coisas da sua vida, de forma modesta, sem grandes alaridos.

A Guida é uma mulher de projectos, de ideias, de movimento. Uma amiga incondicional. Uma pessoa admirável a quem a limitação do espaço nunca vai condicionar os movimentos.

Boa viagem!

CA

notícias frescas

à chegada do fim-de-semana:

- o taxista acha por bem informar-me que o Papa morreu (ora bolas também não estive fora (nem por fora) assim tanto tempo)

- o Quinto dos Impérios mudou de visual (azul e branco ficam sempre bem, o verde alface, enfim ...)

- Os Galarzas têm cada vez mais piada (e dicas úteis, como esta)

- Está a chegar o Verano Azul (obrigada Miguel, pela informação e pela música)

- Mais um companheiro, do outro lado desta torre de babel, levantou âncora. Até um destes dias, espero eu!

CA

4 - 2 , balanço positivo

os mais (++++)
- pessoas como o Palmiro
- restaurantes como o Alioto
- o mar
- o sol

os menos (--)
- a cidade de costas para o mar
- a lagosta em que me tornei

CA

quarta-feira, maio 04, 2005

não recusar desafios

Embora não me enquadre (de todo) na categoria dos "conservadores" portugueses nunca gostei de rejeitar desafios.

Eu sei em quem não votaria. Certamente.

[Caro amigo, acho que com esta tripla-linkagem estamos quites, não?]

CA

Fim de semana maior

Image hosted by Photobucket.com

Vai estar sol e é isso que se quer! Até para a semana que às vezes, também é preciso ir descontextualizar para outro lado!

JB

terça-feira, maio 03, 2005

momentos de magia

Ontem à noite contaram-me uma história para adormecer. Foi a história das maçãs mágicas.

Não adormeci. Hoje, para compensar, pensei na história diversas vezes, a propósito de magia.

É triste como basta um único e breve momento para que as coisas ou as pessoas percam a magia que as envolvia. Há breves momentos que não se repetem e a magia perdida não é recuperável.

CA

descontextos em final de dia

Há um blog que tem coisas destas e destas e muitas outras de que gosto.

Porque gosto de gente assim, em texto e em imagem.

Sobretudo porque gosto de gente sem falsos pudores.

Porque, embora a descontexto, me lembrei de uma das crónicas Cidália na Grande Reportagem, que cito de ouvido, sobre "as meninas que passaram o Verão a cantarolar tou nem aí e que suspiram por homens com o Hugh Grant, quando todos sabemos que ele suspirava era pela boca da Divine".

E mais ainda a descontexto, gostava de compreender o aplauso da direita à decisão do Presidente Sampaio? Eu achei que a dita direita até gostaria de votar em referendo, para tentar manter o seu mundo na hipocrisia vigente...

CA

rescaldo de fim-de-semana

1. Samuel Beckett é um génio [ou como seis horas de aeroporto e outras tantas de viagem podem passar num ápice]

2. É muito bom ter Fé [independentemente da forma como ela se manifesta]

3. Sabe lindamente voltar ao colo materno [por um máximo de dois dias, período durante o qual se consegue manter um mínimo de tolerância perante afirmações do tipo "não te esqueças do casaco"]

4. Há pessoas e lugares que permanecem [é esta permanência que ajuda a reencontrar a perspectiva das coisas]

CA

segunda-feira, maio 02, 2005

Tri-Pinilla

Image hosted by Photobucket.com

Ainda há noites mágicas no futebol!
JB

on-line